30 de agosto de 2010

DUBLAGEM INESQUECÍVEL (05): MANDA-CHUVA




Manda-Chuva usava chapéu e um colete da mesma cor e era um gato muito esperto, trapalhão, malandro, com uma grande aversão ao trabalho e também sabia ser bastante persuasivo quando queria conseguir alguma coisa.

Além de líder de uma turma de gatos desocupados, era também muito amigo deles e cada qual contava com uma personalidade muito particular e especialidade, e todos moravam num beco originalmente na ilha de Manhattan, em Nova Iorque, num complicado sistema de ruas e vielas, muito próximo ao Brooklyn, Queens e Bronx.


O mais incrível deste desenho animado era o fato de toda a natureza cosmopolita da cidade ser refletida principalmente nos seus transeuntes do beco e próximas a ele. No Brasil, dizem alguns autores, que a cidade a ser adotada em sua dublagem era Brasília, mas o local poderia ser adaptado para qualquer lugar familiar de sua cidade, já que o beco era muito parecido a diversos lugares iguais existentes em qualquer grande metrópole.

Todos eles eram constantemente perseguidos pelo Guarda Belo, um policial do bairro, que sempre acabava por descobrir as falcatruas do Manda-Chuva e tentava levá-lo ao xadrez, mas acaba mesmo é caindo nas boas lábias do esperto gato.


Um dos motivos mais comuns, que deixava o Guarda Belo furioso era o uso do telefone, que era de utilidade apenas para a polícia, que ficava no beco, mas que o malandro do Manda-Chuva usava para fazer seus contatos, armar algum golpe ou manter-se informado sobre os resultados das apostas das corridas de cavalo.



** PERSONAGENS E DUBLADORES**

A dublagem deste clássico desenho de Hanna Barbera demonstra um extraordinário trabalho do pequeno grupo de profissionais. Sua dublagem consta que teria sido realizada em 1963 e, felizmente, os 30 episódios estão com o áudio preservado. Um grande desempenho de Older Cazarré que escalou, dirigiu e dublou episódios.

O curioso deste desenho é que, praticamente, teve a participação de 4 dubladores, tendo participado como convidados: Rogério Marcico, Arakén Saldanha, Luís Orioni, Magda Medeiros, Nícia Soares e Helena Samara.

Outro personagem na série era o gato Chuchu. Ele era o segundo na hierarquia e respondia pelo grupo quando Manda-Chuva estava ausente. Ele usava sempre uma camisa branca de pescoço alto e manga comprida e também era o mais alto de todos os gatos e representado tendo os olhos de um gato siamês.

Ao contrário de Manda-Chuva e de Bacana, ele não tinha muito traquejo e nem coragem para falar com as fêmeas de sua espécie. Originalmente sua voz foi vocalizada por Marvin Kaplan e se assemelhava muito ao de Woody Allen. Na dublagem brasileira Chuchu recebeu uma fala bem suave e macia de Waldyr Guedes.



** CHUCHU **

Bacana era outro membro do grupo de Manda-Chuva. Ele era descontraído, tinha uma doçura ao falar e freqüentemente era visto conversando com as senhoras e dizem que ele foi inspirado no ator Cary Grant.

No Brasil também recebeu uma fala macia, muitas vezes muito elegante e se mostrava como um verdadeiro “Don Juan”. Ele gostava de usar um grande lenço, muito elegante em seu pescoço o que lhe conferia a ele um ar bastante sofisticado.
Assim como Chuchu, Bacana foi dublado por Waldyr Guedes, sem dúvida alguma um dublador que conseguia realizar verdadeiras proezas com a voz. Além dos dois gatos, ainda dublava velhinhos, outros gatos que surgiam em determinados episódios.


** BACANA **

Havia também o Gênio, mas que de gênio nada existia, pois ele era o membro mais ingênuo do bando. Era um gato que não conseguia guardar um segredo, colocando muitas vezes o grupo em apuros.

Por mais incrível que pareça ele era o responsável pelo dinheiro do grupo, o que eles raramente tinham e apesar de sua aparente alienação, às vezes dizia algo muito brilhante. Gênio aparentava sempre estar insatisfeito, principalmente por ter um semblante muito triste, com seus olhos bem caídos. Este personagem ficou com Older Cazarré, porém sobravam outros personagens como : donos de restaurantes, bandidos, etc., que Cazarré assumia também.


** GÊNIO **

Espeto se aparentava muito ao Bacana, tanto na aparência, quanto em comportamento. Originalmente tinha uma linguagem baseada na fala de um beatnik, de Nova York com sotaque específico. A fim de preservar uma identidade específica do personagem,

no Brasil, recebeu um sotaque nordestino, estava sempre alegre, mas geralmente agia de maneira subserviente, por isso mesmo dificilmente liderava alguma situação. Assim como o Bacana ele também usava uma gravata o que lhe conferia um ar também elegante.
Houve um primeiro dublador para Espeto, Eugênio Silva, porém após alguns episódios Lima Duarte, que já dublava Manda-Chuva, assumiu perfeitamente as características de Espeto.


** ESPETO **

E, Batatinha. Ele era gordinho e engraçado, assim como parecia ser muito simplório e ingênuo, mas era o que conseguia fazer as perguntas mais lógicas durante os empreendimentos irregulares da turma.

Ele era lento, mas a sua relação com o grupo e, principalmente com o Manda-Chuva, era baseada numa amizade sincera dedicada entre eles. Também via sempre as tramóias de Manda-Chuva de uma maneira pura e sem maldade. Era também o único do grupo a ter uma família e isso pode ser conferido no episódio denominado "Meu filho, meu orgulho", onde o Batatinha recebe a visita de sua mãe. Dublado por Gastão Renné, que deu uma voz mais de criança ingênua, o que na realidade era o seu comportamento.


** BATATINHA E SUA MÃE **

Já o Guarda Belo, apesar de ser um policial exemplar e perseguir as tramóias de Manda-Chuva, no fundo tinha uma enorme amizade por ele e pela turma do beco, mas sempre se irritava quando era enganado. Inicialmente Turíbio Ruiz dublou o personagem nos 4 primeiros episódios, depois Gastão Renné acabou sendo a voz mais conhecida.




Sobre esta dublagem, veja o que disse Lima Duarte no site de Hanna Barbera:



"Bem, era um misto, mas era mais feeling. A técnica, aliás, você sabe muito bem, trabalhava contra nós. Sofríamos muito com a técnica. As dublagens antigas, até mesmo as do Manda-Chuva, não eram perfeitas no sincronismo. Elas eram muito mais de interpretação mesmo. Nós interpretávamos melhor os personagens, esperando assim compensar as falhas técnicas. Eram retirados trechos dos desenhos, com mais ou menos 1 minuto cada. Depois eram remontados já dublados. Eram chamados anéis de gravação. Minha cabeça quase explodia com o som das pancadas que serviam para sinalizar que estava sendo gravado o som. Eu lia o papel, com uma lâmpada muito precária, e ao mesmo tempo tentava sincronizar minha voz com o movimento da boca do personagem. Eu ficava muito atento, pois o desenho não é um ser humano. É uma carinha com dois olhos e um risco chamado boca. Quando este risco ficava redondo, tinha que sair um som. Significava que ele estava falando. É o meu martírio até hoje, quando , Manda-Chuva, subia no caixote naquele beco, para fazer um discurso para seus amigos. Na época, o meu diretor de dublagem era o Older Cazarré, "um amor de pessoa". Quando ele falava que tinha alguma coisa fora aqui, que é aquele negócio ali pelo meio, um "tiquinho ali", faltou um pouco de intensidade, outra vez, ok? Era tudo outra vez. Isso era o dia inteiro até acertar. Uma coisa medieval! E assim tudo era feito. O que hoje é feito tecnologicamente, eletronicamente, maravilha, sem nenhum problema, eu é que tinha que fazer."



** PARA REVER ESSA DUBLAGEM POSTAMOS AQUI UM EPISÓDIO, O QUAL DEMONSTRA CLARAMENTE O EXCELENTE TRABALHO REALIZADO EM 1963, QUE JÁ PERCORREU PRATICAMENTE TODAS AS EMISSORAS DE TV ABERTA E AINDA SURGE ATÉ HOJE NA TV A CABO.



** UM CLÁSSICO DE HANNA BARBERA E DA AIC:

**VÍDEO 1**


**VÍDEO 2**


**VÍDEO 3**



**VÍDEO 4**



**Marco Antônio dos Santos**

15 de agosto de 2010

ENTREVISTA COM BRUNO NETTO




INTRODUÇÃO: Há muitos anos não tínhamos notícias do grande dublador Bruno Netto. Sua voz, para nós brasileiros, será sempre a de Don Adams (Agente 86). Fomos descobertos pelo grande amigo de Bruno, o diretor de tv João Lorêdo, o qual se prontificou de imediato a nos proporcionar maiores informações.
Tivemos o privilégio de conversar, por telefone, com Bruno Netto e mesmo com seus 84 anos de idade, tem muito bom humor, à la 86 !!


Bruno Netto nasceu a 20 de julho de 1926 e, atualmente, mora na cidade de Franca, interior de São Paulo. Como ele próprio disse "eu não falo a língua do computador", assim o nosso amigo João Lorêdo intermediou algumas perguntas que fizemos.


É bom lembrar que Bruno Netto dublou em outras séries também na AIC: O Túnel do Tempo, Perdidos no Espaço, Terra de Gigantes, Jornada nas Estrelas, Daniel Boone, etc, mas foi com Agente 86 que ganhou uma legião de fãs. Infelizmente, mais uma dublagem primorosa desaparecida, o que gerou uma redublagem para o lançamento dos DVDS. Após a sua retirada da dublagem, em meados da década de 1970, Bruno Netto se dedicou a outras atividades.



Leiam as suas respostas:



1 - Bruno, você exerceu outras profissões antes de ser artista ? Quais ?

R: NÃO.

2 - Como você iniciou a sua carreira artística ?

R: RADIOTEATRO E TEATRO ESTUDANIL.


**EM PROGRAMA DE TV AO VIVO / FINAL DA DÉCADA DE 1950 **



3 - Como surgiu a primeira oportunidade de participar de uma dublagem ?

Foi já na AIC ?

R: NÃO.FOI NA CINECASTRO/RIO.

4 - Quem ou quais dubladores te ensinaram a arte de dublar, aqueles que te oientaram para realizar o excelente trabalho que você fez ?


R: FUI ORIENTADO PELA CARLA CIVELLI QUE ERA A DIRETORA.

5 - Você ficou muito conhecido por dublar o Agente 86, como você foi escolhido para dublar esse personagem ?


R: FIZ UM TESTE.

6 - Sua voz parecia "sósia" de Don Adams, mas teve também toda a interpretação. Foi difícil ou logo você captou a interpretação do ator ?


R: NÃO FOI DIFÍCIL. FOI UMA COMUNHÃO PERFEITA .LOGO DE CARA!




** DON ADAMS (AGENTE 86): VOZ QUASE IDÊNTICA A DE BRUNO NETTO !! **


7 - Há algum fato curioso durante o período em que você dublou o Agente 86 ?


R: Não. sempre correu tudo bem. Tudo normal.

8 - Do que você sente saudades do teu período na AIC ?


R: Dos meus colegas. Os que ainda estão na luta e os que já se foram !

9 - A série Agente 86 foi dublada, em sua última temporada, pelo estúdio CineCastro. Você poderia citar alguma outra dublagem, que você realizou nesse estúdio ?


R: "DANGER MAN" e "SEVEN TO SEVEN SUNSET STRIP"

10- Infelizmente, houve o desaparecimento total da dublagem de Agente 86. Qual a sua opinião sobre esse fato ?


R: Coisas do meio. Falta de comunicação.

11 - Quando você abandonou a dublagem ? Por quê ?


R: Falta de tempo disponível. A televisão me absorvia muito.

12 - Você sempre teve enormes fãs do teu trabalho. Deixe uma mensagem para eles.


R: Não me digam que apagaram as dublagens do 86!

(Eu pedi para não me dizer isso!)

** O BRUNO PEDE PARA AGRADECER A VOCÊ TODA SUA ATENÇÃO. ESTAMOS ÀS SUAS ORDENS!! GRANDE ABRAÇO DO JOÃO LORÊDO.



** AQUI, TEMOS A PRESENÇA DE BRUNO NETTO NA SÉRIE TERRA DE GIGANTES:


** AGRADEMOS AO AMIGO JOÃO LORÊDO POR TER SIDO O INTERMEDIÁRIO DESTE PEQUENO DEPOIMENTO !


***BRUNO NETTO FALECEU NO DIA 19 DE AGOSTO DE 2016, AOS 90 ANOS DE IDADE***

** Marco Antônio dos Santos **

12 de agosto de 2010

DUBLAGEM INESQUECÍVEL (04): BIG VALLEY




Big Valley era o nome de uma série de TV do gênero western criado por A.I. Bezerrides e Louis F. Edelman, produzido por Levy-Gardner-Laven e Four Star Television, com músicas temas compostas por George Duning. A série foi apresentada originalmente nos Estados Unidos, pela rede ABC, entre 15 de setembro de 1965 a 19 de maio de 1969, num total de 112 episódios em 4 temporadas.


A trama era centrada por volta de 1878, na fazenda Hill Ranch, que ficava localizada em California's San Joaquim Valley, próximo a cidade de Stockton e narrava os acontecimentos vividos pela família Barkley, na expansão de suas terras, defrontando com problemas relacionados a gado, minas, disputas de terras, ladrões, doenças, entre outros.



Após a morte de seu marido, Victoria Barkley assume o comando da fazenda com suas mãos firmes e se torna a poderosa matriarca da família. Através de seu esforço e perseverança torna-se uma rica fazendeira da Califórnia, com a ajuda de seus filhos.






O mais velho chamava Jarod Thomas Barkley, muito inteligente e o mais tranquilo dos filhos. Como um bom advogado preferia sempre resolver as disputas ou problemas através da lei. Já seu irmão, Nick Barkley, era um jovem impetuoso e um notório brigão, adorava se meter em brigas em encrencas, chegando muitas vezes até a lutar com seus irmãos.



Ele era muito famoso por usar coletes de couro e um chapeu bem grande. Audra Barkley era a única filha de Victoria. Era bonita, solteira e tinha o temperamento muito parecido com a de sua mãe, por isso mesmo difícil de se lidar com ela. Uma mulher que frequentemente se envolvia em diversos assuntos com muita ousadia.



Além dos três, havia também um filho ilegítimo de seu marido com outra mulher. Ele se chamava Heath e nos primeiros episódios não tinha grande aceitação da família, principalmente de Nick, mas com o passar dos episódios ele vai ganhando a confiança de todos e se torna até o melhor amigo dele.






Havia também o filho mais novo da família chamado Eugene Barkley, interpretado por Charles Briles. Era um estudante de medicina, não morava na fazenda e estudava em Berkeley e somente apareceu esporadicamente em aproximadamente cinco episódios da primeira temporada e depois desapareceu, mas ele era mencionado de vez em quando. O elenco regular também contava com Napoleon Whiting que interpretava Sila, o mordomo da fazenda.


A série também marcou o início de carreira de Linda Evans e Lee Majors, que depois ficariam famosos por outras séries. Lee Majors, por exemplo, ficou mundialmente famoso pela suas atuações em "O Homem de Seis Milhões de Dólares" e "Duro na Queda" e Linda Evans por sua participação em "Dinastia".

Alguns anos depois do encerramento da série, Richard Long que interpretou Jarrod Barkley morreu em 1974 e Barbara Stanwyck em 1990 por problemas cardíacos. No Brasil, a série fez grande sucesso ao lado de outros westerns como Bonanza, O Homem de Virgínia , Lancer, James West entre outros.



**BIG VALLEY NO BRASIL**


A série estreou em 4 de julho de 1966 pela extinta TV Excelsior, em horário nobre, semanalmente. A dublagem realizada foi mais uma obra primorosa da AIC. Há um fato curioso: os registros sonoros que ainda restam demonstram episódios da 1ª, 3ª e 4ª temporadas, o que nos leva a crer que a 2ª temporada jamais foi exibida no Brasil. Provavelmente, a TV Excelsior não adquiriu os direitos de exibição dessa temporada.

Outro fato curioso da dublagem: a 1ª e 2ª temporadas (dubladas, provavelmente, no biênio 1966/67), apresenta um elenco de dubladores, os quais quase todos foram substituídos na 3ª e 4ª temporadas, devido ao fato de terem saído da AIC durante o período em que a 3ª temporada ainda não havia sido dublada.

Big Valley foi um enorme sucesso de audiência e, após o encerramento das atividades da TV Excelsior, ainda percorreu outras emissoras durante a década de 1970. Em 1970/71 esteve na TV Bandeirantes. Depois seguiu para a TV Record em 1973/74 e, finalmente, em 1976/77 foi uma das séries da programação da nova emisssora que estreava no Rio de Janeiro: TV S, atual SBT.


Desde a década de 1980 desapareceu das emissoras de tv, assim, não temos idéia se a dublagem ainda sobreviveu. Atualmente, alguns colecionadores possuem filmes telecinados de episódios avulsos. Big Valley foi lançado em DVD nos Estados Unidos, mas aqui no Brasil, temos quase absoluta certeza de que jamais estará disponível.





**ELENCO E DUBLADORES (INCLUINDO AS ALTERAÇÕES DE VOZES)**

*Bárbara Stanwyck (Victoria Brakley) -
 GESSY FONSECA(1ª voz) e
 LÍRIA MARÇAL (2ª voz).

*Richard Long como Jarrod Barkley - dublado sempre por WILSON RIBEIRO.

*Peter Breck como Nick Barkley-
 NEVILLE GEORGE (1ª voz) - ARY DE TOLEDO (2ª voz) e
 LUIZ PINI (3ª voz).

*Linda Evans (Audra Barkley) - 
MARIA CRISTINA CAMARGO (1ª voz) e
  ÁUREA MARIA (2ª voz)

*Lee Majors como Heath Barkley- 
DÊNIS CARVALHO(1ª voz) e
 CARLOS CAMPANILE (2ªvoz).

*Charles Briles como Eugene Barkley- dublado por NELSON BATISTA.

*Narrador da Abertura:
IBRAHIM BARCHINI (1ª e 2ª temporadas) e
 CARLOS ALBERTO VACCARI (3ª e 4ªtemp.).


**Vamos rever 6 episódios de Big Valley**

**VÍDEO 1**




**VÍDEO 2**


**VÍDEO 3**



**VÍDEO 4**


**VÍDEO 5** 


**VÍDEO 6**


** FONTES DE PESQUISA:

**SITE TV SINOPSE E ARQUIVO PESSOAL**



**Marco Antônio dos Santos**

8 de agosto de 2010

ENTREVISTA COM HUGO DE AQUINO JÚNIOR




1 - Quais profissões você exerceu antes de ingressar na AIC ?

R: Quando entrei para a AIC, em 1966, ainda não havia trabalhado; somente estudava.

2 - Quais os caminhos que te levaram para os estúdios da AIC ?

R: Conhecíamos um funcionário do escritório da AIC, Sr. Eugênio, que achava legal a minha voz e achou que eu deveria fazer um teste.

3 - Você efetuou algum teste para dublar ? Você se recorda como foi ?

R: Foi marcada uma data e eu, tenso, entrei num dos estúdios, ensaiei várias vezes até criar coragem e...pronto! Havia feito a minha primeira dublagem para a tv.

4 - A sua voz sempre foi perfeita para dublar galãs, heróis e também personagens durões, truculentos e até vilões. Quais dublagens te realizavam mais como profissional da voz ?

R: De modo geral todas as dublagens me realizavam, pois eram sempre um desafio em termos de interpretação, dicção, colocação de voz e sincronismo. Era muito gostoso também dublar desenhos animados, pois em alguns tinha que usar do recurso de falsete para adequar a voz!

5 - Pesquisando em nosso arquivo pessoal, encontramos personagens dublados por você em episódios da série Os 3 Patetas, talvez uma de suas primeiras dublagens na AIC. Como era dublar essa comédia clássica ao lado de Borges de Barros, Hélio Porto, Samuel Lobo e José de Freitas ?

R: Era muita responsabilidade para mim estar ao lado de verdadeiras feras da dublagem, porém o clima de descontração era grande e depois de algum tempo não havia mais problema. O entrosamento foi grande.

6 - A sua voz, conforme disse anteriormente, se adaptava bem a diversos personagens. Assim, você teve uma presença constante nas séries de tv da época, desenhos e filmes. Você se recorda de algum fato curioso ou engraçado durante as gravações ?

R: Uma das coisas engraçadas era quando alguém entrava no estúdio inadvertidamente sem observar o aviso luminoso de "gravando" na porta, e lá ia por água abaixo a gravação de um anel muitas vezes dificílimo com astros de primeira linha!! Mas tudo acontecia numa boa.

7 - A série Shane foi bem curta, apenas 17 episódios, na qual estrelava o ator David Caradine. Foi o seu único personagem fixo em séries de tv ?


R: Além de Shane, era fixo na série Os Campeões, desenhos animados e também dublei durante algum tempo o ator Pernell Roberts.




** A VOZ DE DAVID CARADINE NA SÉRIE SHANE **


8 - Você esteve presente na AIC de 1966 a 1971, ou seja, você participou do seu apogeu e saiu quando já se iniciava a crise, a qual encerraria as atividades do estúdio em 1976. O que representa para você ter participado durante esses anos da AIC ?

R: Uma maravilhosa experiência profissional da qual me sinto orgulhoso em ter feito parte, porque não dizer, da mais importante empresa de dublagem que já existiu!

9 - Do que você sente saudades do período da AIC ?

R: Das amizades que cultivei e das pessoas inesquecíveis que conheci.




**DÉCADA DE 1970**



10 - Além da dublagem, antes de ingressar no IPEM, você participou de outra atividade artística ?

R: Fiz locução de comerciais para a tv e também participei do conjunto "Os Iguais" do saudoso Gastaldi, na era pós Antonio Marcos.

11 - Como o Hugo de Aquino Júnior, que assiste a filmes e séries dublados atualmente, compara com a dublagem realizada na década de 1960 ?

R: Em alguns filmes o que eu observo é a incompatibilidade da voz selecionada para determinado ator, além de sérios problemas de falta de sincronismo. Em minha época as vozes eram escolhidas com muito rigor, inclusive com a presença do representante da distribuidora do filme. Hoje não sei como é, pois estou afastado da atividade.

12 - A AIC deixou muitos fãs até hoje da dublagem realizada. Sua voz está eternizada em dvds de algumas séries. Deixe uma mensagem para esses fãs que até hoje admiram o teu desempenho na dublagem.

R: Só tenho que agradecer pelo carinho, inclusive o seu, Marco Antônio, por esta oportunidade tão gratificante !Um grande abraço a todos, Hugo.



**AQUI, TEMOS UM EPISÓDIO DA SÉRIE LANCER, NO QUAL HUGO DE AQUINO JÚNIOR DUBLA O ATOR MICHAEL ANSARA QUE INTERPRETA UM ÍNDIO**



**O falsete incrível para o personagem Tico Mico**
*** AGRADECEMOS A HUGO DE AQUINO JÚNIOR POR ESTE DEPOIMENTO, PARA MAIS UM REGISTRO SOBRE A AIC ***

** Marco Antônio dos Santos **

5 de agosto de 2010

A DUBLAGEM DO FILME "OS PÁSSAROS"


Em São Francisco, quando a bela Melanie Daniels entra na "Davidson's Pet Shop", uma loja especializada em pássaros, conhece Mitch Brenner, um advogado solteiro que está à procura de um presente para sua irmã, Cathy.  Sentindo-se interessada por ele, na saída anota a placa de seu carro e descobre seu endereço.



No dia seguinte, sábado, ela vai até o apartamento dele, levando um casal de passarinhos, do tipo que ele procurara na véspera.  Ao saber, pelos vizinhos, que ele costuma passar os fins-de-semana em Bodega Bay, um balneário ao norte de São Francisco, ela decide ir até lá, onde encontra Annie Hayworth, uma antiga namorada de Mitch, que lhe informa como chegar à sua casa.



Uma vez lá, ela consegue entrar sem ser vista e deixa o presente sobre um móvel, acompanhado de um cartão endereçado à Cathy.  Assim que ela se retira, Mitch descobre o presente e resolve ir atrás dela.


Quando os dois estão prestes a se encontrarem, um pássaro a ataca na testa.  Mitch a leva até o "Tides Restaurant", próximo ao local, onde o proprietário, Deke Carter, oferece material para que seja feito um curativo.  Quando sua mãe chega ao local, Mitch lhe diz que Melanie é sua convidada para o jantar.


Melanie passa pela casa de Annie e a convence a alugar um quarto por uma noite, já que ela só vai poder voltar a São Francisco no dia seguinte.  Mais tarde, ao chegar à casa de Mitch para o jantar, Cathy lhe agradece pelo presente recebido, enquanto a Sra. Lydia não a recebe muito bem.



Depois do jantar, ao voltar para a casa de Annie, Melanie observa um grande número de pássaros nos fios telefônicos ao longo da estrada.  Uma vez lá, enquanto as duas conversam, ela recebe um telefonema de Mitch convidando-a para a festa de aniversário de Cathy, no dia seguinte.




No domingo, durante a festa, um bando de gaivotas ataca as pessoas, ferindo-as.  Mais tarde, na sala de estar dos Brenner, um violento ataque de pardais e de outros pássaros leva pânico a todos.


No dia seguinte, Mitch e Melanie se beijam pela primeira vez.  Quando ela vai à escola de Cathy, apanhá-la, a quantidade de pássaros sobre os telhados é cada vez maior.  Ao chegar à Bodega Bay School, ela aguarda Cathy sentada num banco.  Em pouco tempo, centenas de pássaros se aglomeram em volta do ginásio e de cercas.  Aterrorizada, Melanie entra na escola e avisa Annie sobre o que está ocorrendo.

Annie pede às crianças que saiam sem fazer barulho e que, ao ouvirem sua ordem, corram o mais que puderem.  Entretanto, quando começam a correr, os pássaros as atacam.  Uma delas cai e quebra os óculos.  A garota é socorrida por Melanie que, juntamente com Cathy, entram num carro e disparam a buzina, afastando os pássaros.


De um restaurante, ela avisa Mitch sobre o ocorrido e este, pouco tempo depois, chega ao local acompanhado do xerife.  Quando o frentista de um posto de gasolina é atacado por gaivotas, todos deixam o restaurante numa corrida frenética.  Melanie encontra abrigo numa cabine telefônica, a qual é atacada por duas gaivotas.  Mitch consegue salvá-la e, pouco tempo depois, correm até a casa de Annie a fim de pegarem Cathy.  Ao chegarem lá, encontram Annie caída do lado de fora, como se tivesse sido estuprada.  Dentro, Cathy chora enquanto percebe que Annie se sacrificou para salvá-la.

Mitch, Melanie e Cathy pegam o carro e seguem para casa, onde se juntam à Sra. Lydia.  Lá, sofrem mais dois ataques dos pássaros que deixam Melanie ferida e em estado de choque.  Mitch chega à conclusão de que precisa levá-la a um hospital.  Com muito cuidado, Mitch e a Sra. Lydia conseguem colocar Melanie em seu carro, guardado na garage.  Cathy pede para levar a gaiola com o casal de passarinhos que ganhara de Melanie.  Finalmente, eles partem.


Embora não seja um filme premiado, "Os Pássaros" é mais uma excelente obra de suspense do mestre Hitchcock.  Evan Hunter baseou seu roteiro numa coleção de pequenas histórias escritas pela romancista Daphne du Maurier.


Ao invés da costumeira trilha musical, Hitchcock preferiu usar uma trilha eletrônica, incluindo grasnadas de pássaros, com o compositor favorito de Hitchcock atuando como consultor de som.



Além do magnífico trabalho de Hitchcock, destacam-se a atuação brilhante de Tippi Hedren, o bom trabalho de Jessica Tandy e Suzanne Pleshette, e os maravilhosos efeitos especiais e visuais.

Enfim, "Os Pássaros" é mais um filme imperdível do mestre do suspense. 



**ELENCO / PERSONAGENS / DUBLADORES**

Rod Taylor (Mitch Brenner): João Paulo Ramalho.

Tippi Hedren (Melanie Daniels): Líria Marçal

 Jessica Tandy (Lydia Brenner): Judy Teixeira.

Suzanne Pleshette (Annie Hayworth): Isaura Gomes.

Veronica Cartwright (Cathy Brenner): Sandra Campos.

Ethel Griffies (Sra. Bundy): Gessy Fonseca.

Ruth McDevitt (Sra. MacGruder): Noely Mendes.

Malcolm Atterbury (Polcial Al Malone):

 José Carlos Guerra.

Lonny Chapman (Deke Carter, do Restaurante):

 Gilberto Baroli.

Charles McGraw (Pescador no Restaurante): Luiz Pini.

Doreen Lang (Mãe no Restaurante): Maria Inês.

Doodles Weaver (Pescador): José Vieira.


John McGovern (Dono Correio Postal): Waldyr Guedes.

Voz no Rádio: Marcos Miranda.

Narração de abertura: Carlos Albero Vaccari.



** Mais uma grande dublagem realizada pela AIC, a qual deveria ser novamente exibida com a tecnologia digital. Todos, sem exceção, estão esplêndidos na interpretação.

Uma dublagem que conta com a galeria de dubladores do maior quilate da época. Dublagem realizada em 1969.

O filme é considerado uma obra-prima do suspense e , para nós brasileiros, mais uma obra-prima realizada pela Arte Industrial Cinematográfica.

** Aqui, temos dois vídeos com essa dublagem primorosa**

**VÍDEO 1**

**VÍDEO 2**
** Marco Antônio dos Santos **